A coisa mais estúpida que li hoje

Henrique Raposo no Expresso:

Todos os dias, durante o mata-bicho, divirto-me com uma coisa que se chama ‘minuto verde’ (RTP 1). Neste programa, um representante da Quercus recomenda um determinado comportamento ‘verde’. Aquilo é uma espécie de Alcorão ecologista: todos os actos do dia-a-dia já estão codificados; tudo o que fazemos tem de seguir o que é ecologicamente correcto. Ou aceitamos esta “sharia” verde ou o dilúvio – provocado pelo degelo do Árctico – cairá sobre nós.

Etc. Etc.
Efectivamente, as últimas três décadas não foram uma página brilhante da história de Portugal. Entretanto, vamos a caminho de haver metade de uma população já nascida, criada e educada depois do 25 de Abril. Mais ano menos ano, são esses que vão estar à frente dos destinos do país. Pessoas da estirpe deste Henrique Raposo, por aí em biquinhos de pés, a debitar dislates com todas as letras do teclado. Vai ser coisa digna de ser vista.

3 Responses to “A coisa mais estúpida que li hoje”

  1. luisa

    A culpa não é apenas desse senhor Henrique Raposo, mas também de quem lhe paga para isto, pois um jornal como o expresso, ou qualquer outro jornal, tem um papel social importantissimo e há que fazer uma distinção clara entre humor e parvoice… se é que a ideia era fazer rir alguém…

  2. José Rui Fernandes

    O Expresso é um jornal que parece que teve o seu tempo e ficou por lá. Não evoluiu.
    E utiliza preocupantes técnicas dos tablóides para a primeira página, caluniando em letras garrafais, se isso vender. Desmentindo posteriormente em formato “classificado”, se a isso for obrigado.
    É só papel e mal gasto.

  3. Pedro Martins

    Peço desculpa pelo português barato: deposi de ler a coluna no expresso do Sr. Henrique Raposo no “Expresso” fiquei pasmado que uma pessoa daquela idade seja capaz de pensar daquela maneira e ainda por cima vir pavonear-se.
    Acho que daqui a uns anos são estas pessoas que mais vão chorar os erros que estão a cometer…

Deixe um comentário

Mantenha-se no tópico, seja simpático e escreva em português correcto. É permitido algum HTML básico. O seu e-mail não será publicado.

Subscreva este feed de comentários via RSS

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.