Derrame de ácido arruinou o Rio Febros +

Diz que a Maria Antonieta tem sucessor
E eu digo que os jacobinos têm muitos e prolíferos sucessores. O Jansenista afirma que o Príncipe Carlinhos (sic) lançou um ataque obscurantistista contra os transgénicos, responsáveis por matar a fome a centenas de milhões de pessoas. O meu simples pedido para citar a fonte desta notável informação foi o suficiente para não aprovar o comentário. Os grandes argumentos deste senhor a favor dos transgénicos são “carlinhos”, “baixeza real” e “obscurantista”. Não está mal, para alguém que é Professor Doutor e fala de tanta coisa com tanta propriedade.

Gigantes farmacêuticos acusados de gastar milhões em turismo médico
O turismo científico é outro fenómeno que devia ser observado. Guardian.

Câmaras nos semáforos
Certas localidades nos EUA reduzem o tempo do “amarelo” (abaixo do limite legal) nos semáforos equipados com câmaras. Ignorando os benefícios de segurança do “amarelo”, preferem facturar com quem passa no “vermelho”. Tudo o que é gerido por humanos tem efeitos secundários, boas intenções geram frequentemente todo um conjunto de más acções. Ride Lust.

Derrame de ácido arruinou o Rio Febros
IOL. Um desses competentes gestores que enxameiam as empresas públicas que temos, não “afastou o risco de poluição”? Público. Responsáveis existem? Porque “diluíram” o ácido em vez de o neutralizar no local? Nesta terreola, limpa-se ácido clorídrico à mangueirada.

11 Responses to “Derrame de ácido arruinou o Rio Febros +”

  1. Lowlander

    “Porque “diluíram” o ácido em vez de o neutralizar no local?”

    Provavelmente porque nao tinham os meios necessarios para o neutralizar. A neutralizacao de um acido forte como o cloridrico altamente concentrado como neste caso exigiria uma agente alcalino tambem forte e em grande concentracao rapidamente disponivel para reduzir o pH em tempo util.
    Sendo Portugal, duvido que os servicos de emergencia se tenham chateado a criar stock rapidamente acessiveis de tais produtos.

    “Nesta terreola, limpa-se ácido clorídrico à mangueirada.”

    Na falta de melhor de facto a diluicao com agua e o melhor que se pode faze. E tambem uma forma de neutralizacao de um acido (ou alkalis), ja que a agua da torneira tem um pH aproximadamente neutro tem mais ioes OH- disponiveis que eliminam directamente os ioes H+ do acido em questao e por outro lado ao adicionar agua a solucao acida (o pH e uma medida de concentracao de certos ioes em solucoes aquosas) voce reduz em termos relativos o numeros de ioes H+ por mL de solucao (concentracao) aumentando o pH.

    Concluindo: o JRF tem razao, as accoes dos servicos de emergencia, apesar de compreensiveis, nao sao aceitaveis porque sao inadequadas para a escala do problema.

    Para mim, verdadeiramente grave e a falha que a autoridade (in)competente tem revelado ao longo dos anos no controlo do transporte de substancias perigosas atraves de territorio nacional. As noticias de derrames de acidos nas estradas portuguesas sao comuns e periodicas, o que e uma situacao totalmente vergonhosa com este tipo de mercadoria que tem legislacao sobre as salvaguardas de seguranca a nivel comunitario bastante restritivas e cujo transporte esta a cargo de uma mao-cheia de operadores especializados, perdao, em Portugal creio que o termo mais correcto e “especializados”…

  2. José Rui Fernandes

    Aqui irritam-me duas coisas: A falta de meios crónica (o dinheiro desaparece, mas os meios teimam em não aparecer) e a desvalorização crónica dos problemas. Não é o Zé da Esquina que ia a passar que desvaloriza, são os responsáveis.

    Na falta de melhor de facto a diluicao com agua e o melhor que se pode faze.

    Péssimo. Trata-se de um ácido forte, numa quantidade que aparentemente nem um rio o dilui para níveis aceitáveis — pelo menos sem antes matar toda a fauna. Um rio recuperado há pouco tempo e que atravessa o Parque Biológico de Gaia. Uma vergonha!
    Deviam existir meios para neutralizar e para recolher uma boa parte antes que os estragos sejam os que se observaram.

    tem legislacao sobre as salvaguardas de seguranca a nivel comunitario bastante restritivas e cujo transporte esta a cargo de uma mao-cheia de operadores especializados

    Cá preferiram dar prioridade à legislação sobre galheteiros nas mesas dos restaurantes.

  3. Lowlander

    “Cá preferiram dar prioridade à legislação sobre galheteiros nas mesas dos restaurantes.”

    Pois agora e que desafinou…
    Essa legislacao e outras na area da Saude Publica juntamente com a actuacao da ASAE tem sido das poucas lufadas de ar fresco civilizado nessa aldeia de macacos a que chamam pais. Es pecialmente no pais da UE em que a classe media mais rendimento disponivel gasta em refeicoes fora de casa.
    Se nao suspeitava ainda, saiba que a minha dama e sanidade animal e saude publica.
    Mas aleluia, concordamos no essencial!

    Isto claro, porque de momento (e como sempre) nao tenho tempo (acredite e verdadeiramente pesaroso para mim) para me enfiar numa discussao do arco da velha consigo sobre OGM’s.
    ;)

  4. José Rui Fernandes

    Pois agora e que desafinou…

    Eu já sabia! :) Mas não vamos confundir as coisas — eu não sou contra a ASAE. Até os defendi no Abrupto, contra mais uma atoarda do João Miranda quando resolveram inspeccionar os restaurante chineses. Mas o que é demais é moléstia. Sempre foi.
    O que chama “lufadas de ar fresco civilizado”, entretanto tornou-se numa clássica caça à multa. À boa maneira cá do burgo. Inaceitável.

    Isto claro, porque de momento (e como sempre) nao tenho tempo (acredite e verdadeiramente pesaroso para mim) para me enfiar numa discussao do arco da velha consigo sobre OGM’s

    Eu já sei disso! Os seus argumentos sobre OGMs são decalcados dos do João Miranda sobre aquecimento global. Os meus limitam-se a cautela. Tudo que tenda para o equilíbrio está certo. Tudo o que tenda para o desiquilíbrio está errado.
    Mas se me puder apontar para uma fonte que justifique a tirada do Jansenista, já agradeço. O homem censurou-me o comentário.

  5. Lowlander

    1 – Nao leio esse blog e nao conheco esse blogger.
    2 – O principe Carlos e um idiota ponto final. Resultado tragico de excesso de inbreeding na familia real. Em termos intelectuais esta talvez meio degrau acima do Bush com a desvantagem que nem sequer tem limites constitucionais para o “cargo” que ocupa. Nao lhe conheco uma unica opiniao politica ou cientifica devidamente estruturada e fundamentada. Esta ultima bojarda dele sobre os OGM foi pouco mais que uma nova ilustracao.
    3 – Fontes sobre OGM’s em termos de Saude Publica:

    http://www.who.int/topics/food_genetically_modified/en/

    3.1 – Os receios em riscos em termos de saude publica sao semelhantes aos associados a introducao de novos farmacos, alias provavelmente ate bem menores porque ja estao convenientemente mapeados o que e manifestamente muito mais dificil de conseguir com uma nova substancia activa farmacologica devido ao espectro de moleculas e funcoes que potencialmente cada molecula pode ter.
    Isto e, os receios em termos de saude publica sao infundados.

    4 – Em termos ambientais nao tenho uma fonte com a autoridade do WHO de momento (tempo) para apresentar mas os impactos que vislumbro nao serao maiores (provavelmente ate menores) que as praticas agricolas actuais. Se a agricultura actual e sustentavel e uma questao em si mesma muito mais complexa que os OGM cuja resolucao nao e de forma alguma ajudada com o combate aos OGM.

    5 – Ja quanto aos impactos economicos da forma como as patentes de OGM’s estao a ser emitidas ou como isto podera levar a concenracao do agri-business isso suscita-me preocupacoes. Mas isso e uma questao lateral a fundamentacao cientifica (ou antes falta dela) basica para afirmacoes como “os OGM sao o maior atentado a saude publica/ecologico de sempre”.

  6. José Rui Fernandes

    Nao leio esse blog e nao conheco esse blogger.

    Quem falou em blogger e blog? :)

    O principe Carlos e um idiota ponto final

    É uma opinião. Não concordo.

    Não encontrei no seu link indicação que os transgénicos sejam essenciais para alimentar milhões de pessoas.

    Os receios em riscos em termos de saude publica sao semelhantes aos associados a introducao de novos farmacos, alias provavelmente ate bem menores

    Isso é peregrino. O que impede os transgénicos de contaminar outras culturas? Nada. A monsanto ainda se dá ao luxo de processar os agricultores que sofrem essa contaminação. Não dá mortos e feridos e bebés deformados? E daí? Não é só isso que está em causa.

    os impactos que vislumbro nao serao maiores (provavelmente ate menores) que as praticas agricolas actuais

    Não sou defensor das práticas agrícolas actuais, como sabe. Mas isso é falso, não só as pragas estão a ganhar rapidamente resistência às toxinas produzidas pelos transgénicos, como já foram detectadas em aquíferos; além disso, a fumigação acaba por acontecer. Já tenho publicado muitos links sobre o assunto.
    Também já publiquei um link para um relatório que desmonta a tese de os transgénicos serem mais produtivos (Independent). Mas o meu favorito, é da defesa da Bayer em tribunal — o melhor argumento que encontraram para a contaminação foi chamar-lhe “acto de Deus”. Para cientistas, está jeitoso.

    Mas não entendeu uma coisa: A parte da ciência já me interessa menos. Onde eu gostava de ser convencido era na resposta a uma questão muito simples, mas que ninguém responde: Para que servem os transgénicos e quem precisa deles?

  7. Lowlander

    “Para que servem os transgénicos e quem precisa deles?”

    Para que serve o melhoramento genetico das especies produtivas em geral e quem precisa dele?

    “Não sou defensor das práticas agrícolas actuais, como sabe. Mas isso é falso, não só as pragas estão a ganhar rapidamente resistência às toxinas produzidas pelos transgénicos, como já foram detectadas em aquíferos; além disso, a fumigação acaba por acontecer.”

    Nao, nao e falso porque:
    a) resistencias de pragas e fenomeno generalizado e nao circinscrito aos OGM, alias e muito mais intenso e provavel com a agricultura convencional em culturas nao melhoradas porque se usam mais pesticidas em doses mais baixas (porque a tolerancia das plantas e menor) aumentado a probabilidade de aplicar doses sub-letais e mais vezes.

    b) a fumigacao ainda e usada com transgenicos no entanto usam-se em menores quantidades no computo geral do ciclo de produtivo das plantas por diversas vias

    b1) maior resistencia da planta a pragas

    b2) mair tolerancia da planta a pesticidas permitindo aplicacao de doses mais altas e mais letais para a populacao praga alvo com menos aplicacoes ao longo do ciclo produtivo.

    c) contaminacao de aquiferos por pesticidas (toxinas tambem sao no fundo pesticidas mas produzidos por seres vivos) nao e tambem fenomeno exclusivo de transgenicos e devido a B a contaminacao de aquiferos sera menor em teros absolutos e menor em termos relativos por unidade de producao (Kg, ton., L…)

    “O que impede os transgénicos de contaminar outras culturas? Nada. A monsanto ainda se dá ao luxo de processar os agricultores que sofrem essa contaminação. Não dá mortos e feridos e bebés deformados? E daí? Não é só isso que está em causa.”

    Se reparar abordei esse assunto no meu ponto 5.
    E e intelectualmente desonesto confundir o debate com objeccoes de cariz socio-economico que sao laterais as questoes de saude publica e/ou ecologicos e que nao adveem directamente da tecnologia em si, mas sim de praticas moralmente reprovaveis de empresas no seu relacionamento com a sociedade.

    “Não encontrei no seu link indicação que os transgénicos sejam essenciais para alimentar milhões de pessoas.”

    Em primeiro lugar nao e funcao da OMS estudar questoes de “food security” e sim “food safety” porque e um organismo ligado a saude publica. Andar a procura desse tipo de respostas no link que disponibilizei e como perguntar ao canalizador se a agua da torneira e propria para consumo…
    Em segundo lugar, o tomate, especie nao indigena da Europa, Asia e Africa, nao e essencial para alimentar Europeus, Asiaticos e Africanos. Alias, nem sequer para alimentar os milhoes de americanos deste mundo e essencial… esse tipo de logica e um pouco escorregadia suspeito eu. Nao confunda o estomago humano com o ser humano.

    “Quem falou em blogger e blog? :)”

    “Mas se me puder apontar para uma fonte que justifique a tirada do Jansenista, já agradeço. O homem censurou-me o comentário.” José Rui Fernandes 27 de Agosto 2008 / 16:20

    A nao ser claro que isto seja uma piada que nao percebi.

  8. José Rui Fernandes

    Para que serve o melhoramento genetico das especies produtivas em geral e quem precisa dele?

    Ah, responde com outra pergunta. Quer dizer que não sabe? Sabe e não quer dizer? Tem uma vaga ideia?
    Outra vez: Não compare a selecção à posteriori do agricultor, com a introdução de genes estranhos, cujos resultados são imprevisíveis.

    a) resistencias de pragas e fenomeno generalizado e nao circinscrito aos OGM

    Sim e já era um problema antes, que ao contrário do que diz os transgénicos vieram agravar. Todo esse leque de argumentos é do género da indústria do carvão vir dizer que é inócua porque o petróleo também faz mal. Já existia mal, logo pode existir pior.

    b) a fumigacao ainda e usada com transgenicos no entanto usam-se em menores quantidades no computo geral do ciclo de produtivo das plantas por diversas vias

    Vai ter que informar os agricultores indianos. Arruinados, pelo custo das sementes, pesticidas que têm de aplicar e baixa produtivadade.

    b2) mair tolerancia da planta a pesticidas

    Não se esqueça do Roundup Ready®! Resistência total a este herbicida. O que ecologicamente tem tido efeitos igualmente nefastos, com milhões de hectares só e apenas com soja ou milho. É a monocultura radical, versão Monsanto.

    E e intelectualmente desonesto confundir o debate com objeccoes de cariz socio-economico que sao laterais as questoes de saude publica e/ou ecologicos e que nao adveem directamente da tecnologia em si, mas sim de praticas moralmente reprovaveis de empresas no seu relacionamento com a sociedade.

    Porquê se é uma perspectiva que me interessa? Eu não sou contra nenhuma tecnologia per si, não sou contra a biotecnologia. Os alimentos transgénicos, talvez daqui a 100 anos estivessem prontos a ser introduzidos. Mas não, foram introduzidos atabalhoadamente, sob pressão dos interessados, não foi criado nenhum tipo de controle (designadamente humano), nos EUA é proibido etiquetar (o contrário de obrigatório) e no geral falamos de empresas delinquentes que não olham a meios para atingir fins. São como as petrolíferas, mas a tender para pior.

    Alias, nem sequer para alimentar os milhoes de americanos deste mundo e essencial… esse tipo de logica e um pouco escorregadia suspeito eu. Nao confunda o estomago humano com o ser humano.

    Ai é? Então queixe-se à Monsanto. Olhe que é a lógica utilizada abundantemente pelos promotores destes produtos, ou só repara se eu utilizar? — São necessários para alimentar milhões, dizem eles! Tem de os informar que já cá temos o tomate não transgénico, não precisamos do lixómetro contaminador deles.

    Por fim quando à segurança alimentar humana, é um assunto que ainda está em aberto como sabe. Poucos cientistas existem a estudar o assunto (há poucos fora da alçada da indústria). Os relatórios são quase sem excepção das próprias empresas e não garantem nada. Na prática eles não precisam de provar que não faz mal, os outros é que precisam de provar que faz (uma situação só por si desiquilibrada, porque os criadores estão na posse de muito mais conhecimento sobre o produto a ou b). Quando o fizerem, já muita água passou debaixo da ponte. O tempo corre a favor da Monsanto e eles sabem-no e estão tranquilos.

    A nao ser claro que isto seja uma piada que nao percebi.

    Referia-me ao valoroso Miranda do Blasfémias, não a esse. :)

  9. Manuel Ribeiro

    não querendo entrar em discussões sobre o sexo dos Anjos, só queria alertar, para o seguinte, sempre que se pensa na melhoria duma especie o principal ponto de estudo é o rendimento por hectare, quanto ao uso de pesticidas eeles são muito menores, pois já ao plantar os milhos hibridos por exemplo , já vão contaminados que chegue, mas no fundo as verdadeiras quest~oes ficam sempre por discutir?
    Aonde andam os passaros insectivoros que existiam ?
    Aonde andam as joaninhas , que antigamente tratavam as pragas de piolho sem precisar a mão humana?
    podemos criar milho e outros hibridos que até nem precisem de ir á terra, mas temos que tentar preservar o pouco que nos sobra!!!!
    Em Itália, para uma praga de piolho, compra-se uma caixa de joaninhas e solta-se no nosso pomar, em portugal mata-se tudo para salvar meia duzia de maçãs!!
    Discutir os trangenitos e a sua utilidade, tem uma resposta rapida, bastava cultivar os campos que a PAC , Pôs a ganhar mat, pois se se produzem por exemplo 20 Toneladas/ hectare de milhos hibridos, o mesmo se fazia com 5 hectares de milho tradicional e deixava de haver tanto terreno abandonado em Portugal e criava-se a descontinuidade entre areas agricolas e florestais, que é uma das causas dos grandes incendios em Portugal!!!
    Enquanto neste mundo se pensar em euros , pouco mais devemos ter para deixar aos que vierem a seguir!!!

  10. izabella

    legal,matéria muito interessante!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    parabéns e continuem assim!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Deixe um comentário

Mantenha-se no tópico, seja simpático e escreva em português correcto. É permitido algum HTML básico. O seu e-mail não será publicado.

Subscreva este feed de comentários via RSS

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.