Carbono Zero

Praticamente acabei de referir nos comentários a empresa inglesa CarbonNeutral, quando reparo na empresa portuguesa Carbono Zero, via Bioterra (na verdade tinha visto antes de relance na tv). Foi a primeira que na verdade deu origem a este texto, que o Solariso comentou com cepticismo, algum do qual eu partilho.

Em imagem, a loja portuguesa ganha facilmente à do Reino Unido, mas o site é parco em informações. Mais marketing que substância — principalmente em comparação. Noto particularmente a falta de um “about us”. Na brochura em PDF, depois de muita conversa para vender, são apenas mencionadas outras três entidades que pelos vistos colaboram no projecto. Seria interessante saber mais sobre a empresa, as pessoas, ou também como se processa o cálculo e a fiscalização. Um carvalho com 40 anos não será certamente o mesmo que um plantado há oito anos. Perguntam (e respondem) insistentemente qual é a nossa motivação, mas nós queriamos era saber qual é a motivação deles e porque lhes havemos de confiar o nosso dinheiro. Muito “branding” para o meu gosto, à mistura com alguma informação… Mas lá bem apresentado, não haja dúvidas.
Outra coisa que reparei, é que o cálculo de emissões e respectivo sequestro de carbono, está mesmo muito longe de ser uma ciência exacta. Calculando as emissões de uma viagem de avião de ida e volta Porto-Londres, no CarbonNeutral dá 0,47 toneladas de CO2 e pedem apenas que se adquira uma árvore na sua loja por cerca de 14 euros (têm a opção de enviar uma lâmpada de baixo consumo, para um país em desenvolvimento).
No site Carbono Zero, a calculadora retorna 0,89 toneladas de CO2 e a opção de adquirir 37 árvores para sequestrar esse dióxido de carbono, o que custaria 21,54 euros.
Reparem que no cálculo das emissões dá praticamente o dobro e nas árvores necessárias para as neutralizar, mais de 18 vezes mais. Considerando o bom senso, a minha opinião é que o site nacional é de longe mais realista, aliás em linha com o que disse antes o Pedro Rocha do Solariso.
Muito ainda se vai ver na área do ambiente e suas oportunidades de negócio. Esta ideia é interessante, esperemos que não passe de apenas uma curiosidade e que as empresas possam entre outras coisas atingir solidez financeira que permita cumprir os objectivos a que se propõem, que são de longo prazo, algo complicado na sociedade “do imediato” em que vivemos.

4 Responses to “Carbono Zero”

  1. Pedro Miguel Rocha

    José Rui,

    Creio que tenhas apenas lido o Dossier de Apresentação da Carbono Zero. Caso assim seja, deves ler o “Documento de Referência Carbono Zero”, que podes encontrar no menu: O que é Carbono Zero? – Funcionamento (link ao fim da página).

    Ai encontrarás o documento de que te falo e poderás verificar que a metodologia utilizada é “The Greenhouse Gas Protocol” do World Business Council for Sustainable Development e do World Resources Institute.
    Também encontraras tabelas elucidativas sobre o cálculo, etc…

    Creio que aqui o problema pode mesmo ter haver com a área de negocio em si, uma vez que não tenho conhecimento de incentivos para empresas que voluntariamente queiram aderir, e claro está, se não houver contrapartidas…o barco pode encalhar.

  2. jrf

    Eu vi e até guardei para futura referência. Foi um pouco na diagonal, mas está lá não há dúvida. Mas não invalida o que eu digo, no meio de toda aquela apresentação (que gosto muito), continuo sem saber porque as pessoas lhes hão-de confiar o seu dinheiro arduamente ganho.
    E numa outra nota, contactei-os no mesmo dia para saber o que é necessário para ser uma “floresta carbono zero”, continuo à espera da resposta. Contactei a CarbonNeutral com outras questões e no dia seguinte estava cá a resposta. Enviei outro mail que passado uma hora foi respondido. É assim.

  3. Pedro Miguel Rocha

    Exactamente,

    Porque confiar o dinheiro ou qual a razão que justifica a compra dos serviços Carbono Zero? Certamente será utópico para uma empresa evocar apenas, contributo para a imagem da empresa ou por uma invulgar consciência ambiental!!!

    Já agora que disseram da Carbon Neutral?

    Não faria mais sentido um projecto deste genero funcionar como associação? sempre as empresas poderiam deduzir os montantes investidos.

  4. jrf

    Supostamente este negócio funciona exactamente com base numa crescente consciência ambiental das pessoas e empresas. Admito que existam em número que viabilize uma empresa.
    O que eu digo é que não se sabe quem são, de onde vêm e para onde vão, nem como funciona a fiscalização.
    Acho que não tem qualquer relação, para o caso, ser associação ou empresa. É empresa porque alguém acha que dá para ganhar algo. Pacífico. Também julgo que não há nada que impeça os clientes de deduzir os montantes investidos.
    Tendo um terreno como o nosso, estamos mais que “carbono zero”. Para mim em termos individuais, até faz mais sentido fazer o que fiz — adquirir um terreno, plantar árvores e cuidá-las. E ainda saio da cidade, faço exercício e respiro ar puro como bónus.
    Quem se quiser dedicar ao assunto pode comprar 1000m2 por uma bagatela, plantar 100-150 árvores, que dá dá para neutralizar as viagens que faz de carro e mais alguma coisa.

Deixe um comentário

Mantenha-se no tópico, seja simpático e escreva em português correcto. É permitido algum HTML básico. O seu e-mail não será publicado.

Subscreva este feed de comentários via RSS

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.