Árvores gigantes de Portugal

O senhor C. A. de Souza Pimentel notável agrónomo e silvicultor, editou em 1894 um livreto intitulado “Árvores gigantes de Portugal”, onde indica a localização de velhos colossos com centenas de anos, restos das maravilhas vegetais que existiram outrora no nosso país.
Depois de um rápido estudo das causas que motivaram o desaparecimento da nossa opulência florestal, indica as árvores mais notáveis que se conheciam entre nós. Merecem especial atenção o Sobreiro da Herdade do Pae Annes, entre Niza e Póvoa de Meadas (talvez seja este no A Corte das Areias); o Castanheiro de Alcongosta, no Fundão (morreu em 1920); o Pinheiro da Quinta da Murteira, em Samora Correia; o Pinheiro de Alvinha, no Pinhal de Leiria (uma antiga gravura); o Freixo de Trancoso (derrubado por um ciclone em 1941, A Sombra Verde); o Plátano de Portalegre (no Dias Com Árvores).

4 Responses to “Árvores gigantes de Portugal”

  1. Pedro

    Viva,

    Em relação ao castanheiro de Alcongosta (Fundão), na página 41 do 5º volume da colecção “Árvores e Arbustos de Portugal”, vem uma bela foto; e na página 159 do 1º volume da mesma colecção vem outra fotografia do freixo de Trancoso.

    Abraço

  2. José Rui Fernandes

    Que livros, os do comentário? Saíram com o Público e talvez contactando directamente ou numa papelaria/tabacaria agente do Público.
    O do texto está há muito esgotado como pode calcular e nunca o vi. Li referência noutros livros da época.

Deixe um comentário

Mantenha-se no tópico, seja simpático e escreva em português correcto. É permitido algum HTML básico. O seu e-mail não será publicado.

Subscreva este feed de comentários via RSS

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.