Retrato da Glicínia enquanto destroço

Glicínia
Acho que comecei a tratar desta Glicínia em 2006, talvez 2005. Em 2006 podei-a de certeza, com parcos conhecimentos mas preocupação em fazer bem e desde aí nunca deu tantas flores. Todos os anos tem sido das plantas que mais gosto de ver e fotografar, o cheirinho inebriante também não é nada mau… os insectos benéficos parecem concordar. Entretanto, consta que “está a deitar o muro abaixo” e parece que foi chamado um “profissional” para a podar. Ora aí está.

Glicínia

Glicínia
A Magnólia já não existe e a Glicínia é o que se vê. É uma pena.

4 Responses to “Retrato da Glicínia enquanto destroço”

  1. Maria

    É bem natural que esteja a deitar o muro abaixo. A minha levantou as lajes do chão.

  2. antonio

    A glicínia, na minha terra também lhe dão o nome de cacheiro, tem de facto essas características, pois metem-se pelas paredes, engrossam e às tantas ´levantam as pedras,Mas o cheirinho das suas flores são cá duma suavidade!… As de flores lilás aparecem mais cedo do que as brancas. É uma das trepadeiras de que gosto a par das buganvílias.

  3. Miriam Acurcio Cruz

    Tenho uma glicínia que não floresce. Vou esperar mais um ano se ela não florescer ela irá para o chão, com muita dor no coração.

Deixe um comentário

Mantenha-se no tópico, seja simpático e escreva em português correcto. É permitido algum HTML básico. O seu e-mail não será publicado.

Subscreva este feed de comentários via RSS

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.