Netcabo


Esta imagem, foi gerada há uns minutos e representa a velocidade real da Netcabo na zona onde habitamos. Na verdade não estou a ser muito justo, normalmente a esta hora é mais ou menos à volta de 40kbps e de dia é mais ou menos 100kbps. Na publicidade, já se fala em 1024kbps. Julgo que o que temos contratualizado, é a “velocidade supersónica” de 640kbps.

A Netcabo/TVCabo é uma daquelas empresas que só existe em países subdesenvolvidos, entregues à lógica de mercado selvagem, sem rei nem roque, sem regras, sem regulação, onde vale tudo e é o salve-se quem puder. Os accionistas devem estar encantados da vida. Os lucros são aos milhões, a vida corre-lhes bem. Se a empresa rouba e engana o próximo, paciência, “é a lei do mercado”. Ainda recentemente, para (mais uma) mudança de imagem, o valor gasto é uma obscenidade inacreditável, mas vão à televisão falar disso como se fosse algo edificante — de resto, a nova imagem já nasceu velha e daqui a um par de anos já foi e vem outra por mais alguns milhões.
Porque nesta sociedade profundamente doente, a aparência é tudo e os exemplos caem de cima às catadupas, ao mais alto nível, do governo a instituições, passando por empresas supostamente de referência (neste caso a PT), que deviam ser pilares de ética, decência e honestidade. Já enoja.
Não se trata de bom ou mau serviço. Trata-se de honestidade mínima. Trata-se de ética mínima. Trata-se de ter a distinta lata de a troco de 35€ mensais, fornecer um serviço igual ao que tínhamos em 1996 com a Telepac e um modem de 28.800bps. Trata-se de fraude, que é o nome do meio desta empresa.
Além da velocidade, que até a actualização do blog impede (muitas vezes há um “time-out” antes do upload das fotos acabar), somos desligados constantemente.
Pela segunda vez, fomos visitados por um técnico que não vem cá fazer nada. Desta vez foi um designer gráfico(!) a trabalhar para uma empresa que a Netcabo subcontrata. Sim, porque a “lógica de mercado” não permite que a empresa tenha empregados. Diz-se que técnicos da Netcabo em todo país, são três. Uma multidão.
Mas há uma mudança de discurso. Antigamente, tentavam sempre empurrar para o cliente a culpa da lentidão, era das fichas, da rede da casa, do tempo, de estar Sol, de chover… Era uma forma de facturar as deslocações. Isto, com o meu irmão na casa ao lado, que entretanto mandou desligar o cabo.
Agora, pelo telefone dizem-nos que “há um congestionamento na zona” e pedem imensa desculpa. Apelam à paciência e boa vontade dos clientes. Mas para serem honestos “não há prazo para a resolução do problema”.
Mas o “problema”, isto é a fraude, é muito mais refinada. Estes senhores não só vendem enquanto existirem compradores, como ainda procuram activamente novas vítimas, colocando pobres coitados ao telefone a incomodar meio mundo. Isto, sem infra-estruturas, sem qualquer sustentabilidade para o crescimento, sabendo que estão deliberadamente a enganar as pessoas. É inadmissível.
Num país evoluído, vigaristas deste calibre não tinham a porta aberta. Se o estado não agisse, haveria uma empresa concorrente honesta, que teria acabado com estes comportamentos fraudolentos em três tempos. Mas, cá o Estado é um dos principais accionistas. E a concorrência é insignificante. Que conveniente.
Agora, equacionamos voltar ao ADSL, depois de sairmos, em litígio com a Telepac (outra da comandita), após anos e anos como clientes. Em boa verdade, quase desde o início, quando a instalação para acesso por modem de 14.400bps custava 55.000$00 e eramos atendidos por engenheiros e não “operadores de telemarketing”.
Claro, que poderíamos enviar uma queixa para a DECO, Instituto do Consumidor, ou até o Queixas.co.pt, mas recebem-nas às centenas de todo o país e adianta pouco ou nada.
A estratégia de empresas como a Netcabo é roubar o mais possível, enquanto puderem, vencendo por exaustão. Estes senhores não merecem mais de dois minutos do meu tempo e já os gastei.
Não podemos vencer.

2 Responses to “Netcabo”

  1. Carlos Silva

    NETCABO denúncia clientes à Policia Judiciaria
    Pelos vistos além de prestar um péssimo serviços aos clientes, a Netcabo ainda os denuncia à Policia Judiciaria por utilização de programas de file sharing tipo emule. Tenho conhecimento de um caso, de um colega de trabalho, em que a PJ lhe foi a casa às 7.30H da manhã apreender os computadores. O computador estava a ser usado para fazer download de filmes do emule para uso privado e o utilizador tinha o plano de Netcabo sem limite de trafego.
    Pelos vistos os clientes que têm muito trafego mensal dão prejuizo à Netcabo, que os referencia à Policia Judiciaria

Deixe um comentário

Mantenha-se no tópico, seja simpático e escreva em português correcto. É permitido algum HTML básico. O seu e-mail não será publicado.

Subscreva este feed de comentários via RSS

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.